The Cross: Uma Jornada Melancólica pelo Doom Metal Baiano

A banda de Doom Metal, The Cross, traz em suas letras sombrias e introspectivas uma jornada emocional intensa. Com a música “Behind this Stone Gate” como um exemplo vívido dessa abordagem, a banda explora temas existenciais e a melancolia de uma maneira única. A letra descreve um mundo caótico e sombrio, onde a angústia e o sofrimento são constantes companheiros. Através de metáforas obscuras, o vocalista expressa a solidão, a desintegração do corpo e a busca por consolo na escuridão. A melodia arrastada e os riffs pesados dão vida à atmosfera opressiva e desoladora da música. The Cross cativa os ouvintes com sua visão melancólica do mundo e sua habilidade em transmitir emoções profundas através do poderoso Doom Metal.

A música “Behind this Stone Gate” é um reflexo da essência da banda The Cross, cuja sonoridade densa e sombria é característica do Doom Metal. Com letras introspectivas e profundas, a banda aborda questões existenciais e a natureza da melancolia humana. A letra retrata um eu lírico imerso em um mundo caótico e desolado, onde a angústia e o sofrimento permeiam cada momento.

Através de metáforas fortes e imagens impactantes, a voz do vocalista transporta os ouvintes para um estado de introspecção e melancolia. A solidão é um tema recorrente, representada pela escuridão ao redor e pela ausência de reflexo do sofrimento nos arredores. A jornada do eu lírico é marcada pela dissolução da carne e pela desintegração dos ossos, simbolizando a perda de identidade e a fragilidade da existência.

A melodia lenta e arrastada, acompanhada por riffs pesados, cria uma atmosfera opressiva e sombria, capturando perfeitamente a essência do Doom Metal. A sonoridade da banda The Cross é um convite para explorar os recantos mais profundos da alma, confrontando os dilemas existenciais e as emoções sombrias que muitas vezes são deixadas de lado.

Com sua abordagem única e habilidade em transmitir emoções intensas, The Cross destaca-se no cenário do Doom Metal baiano. A banda oferece uma experiência musical imersiva, transportando os ouvintes para um mundo melancólico e introspectivo. Prepare-se para uma jornada sonora catártica, guiada pelas composições impactantes e atmosféricas da The Cross.

A The Cross está marcando seu lugar no cenário mundial do gênero com o lançamento do seu novo EP. Com a data marcada para o dia 07/07/23, a banda promete envolver os ouvintes em uma atmosfera sombria e melancólica característica do doom metal.

Além do lançamento do EP, The Cross também tem o prazer de anunciar uma parceria com a renomada gravadora Pitchblack Rec, sediada na Grécia e Chipre. Essa colaboração trará uma nova dimensão para a banda, permitindo que sua música alcance um público mais amplo e fortalecendo sua presença no cenário global do doom metal.

Com essa nova parceria, The Cross busca agregar mais poder ao doom metal mundialmente, trazendo sua abordagem única e sua paixão pela melancolia para os fãs do gênero em todo o mundo. Prepare-se para ser imerso em um universo de riffs pesados, vocais profundos e letras introspectivas, enquanto The Cross leva o doom metal a novas fronteiras com seu lançamento e parceria com a Pitchblack Rec.

Informações:

Produzido, mixado e masterizado por Paulo Monteiro na LFX Music Works entre novembro de 2022 e abril de 2023 em Salvador, Bahia, Brasil.

Arte por Paulo Monteiro na LFX Music Works. Vocais da música “Semita Solitudinis” gravados por Jochen Thurn em março de 2023 no Studio F., Alemanha.

Teclados e violino da música “Resquiescit in Pace Frater Noster” gravados por Daniel Fischer em abril de 2023 no Studio F., Alemanha. Teclados da música “In Funere” gravados por Vinicius Campos em abril de 2023 no Campos Estudio, Recife, Pernambuco, Brasil. Vocais da música “In Funere” por Ms. Moem, poema “Carry On”. Arte da capa, layout e conceito por Paulo Monteiro. Músicas 1 e 3 por Daniel Fauaze, música 2 por Vinicius Campos e Eduardo Slayer. Arranjos por The Cross. Letras 1 por Eduardo Slayer e Daniel Fauaze, 2 por Ms. Moem, poema “Carry On”, 3 por Frederik Georg.

Por: Evandro Neves.

Se gostou deste trabalho ajude doando algum valor no botão abaixo:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *